segunda-feira, 20 de abril de 2020

A importância dos cuidados com alimentação em missões espaciais. Por Davi Souza



            Primeiramente, não sou profissional na área de Nutrição, muito menos especialista para dissertar sobre dietas de futuros astronautas no espaço. Mas venho apresentar um fato relevante que me ocorreu durante o período da missão 35 da estação de pesquisa análoga a Marte, Habitat Marte. A missão foi realizada na modalidade virtual, com um grupo de 4 participantes.
            Após as comemorações do meu aniversário resolvi pedir para jantar um prato de “camarão internacional” de determinado restaurante da cidade. O que eu não esperava e acabou me surpreendendo, foi uma reação alérgica que jamais havia tido, causando mal estar, manchas vermelhas no corpo e até falta de ar. Não tenho histórico de alergia a camarão, mas acredito que as alterações na minha rotina de dieta e treinos, durante o período de isolamento social, podem ser fatores que colaboraram para que tal reação viesse ocorrer. 
            A reação alérgica me proporcionou algumas reflexões relacionadas a cuidados com a alimentação no espaço. Penso quanto ao sistema de aquaponia, em operação no Habitat Marte, onde estamos realizando o cultivo de plantas e peixes. Em um sistema como tal, além de existir a possibilidade do cultivo de camarão, o produto gerado possibilita uma alimentação relativamente regrada, composta por legumes, vegetais e proteína animal. E daí eu me pergunto: e se um astronauta desenvolver uma reação alérgica a certo alimento no espaço? Quais procedimentos devem ser tomados? Que medidas serão necessárias para manter uma dieta que não afete a saúde de astronautas em futuros habitats espaciais?
            Para responder tais questões com propriedade precisaríamos do auxílio de profissionais da área da saúde, sejam eles médicos, alergologistas e nutricionistas. Mas, como astronauta análogo, me proponho a pensar em formas para evitar que determinados incidentes, como o que tive, venham a ocorrer em futuras missões e colônias espaciais. Quanto a encaminhamentos para evitar tais situações no espaço, acredito que serão necessárias algumas medidas a curto e a longo prazo para poder obter resultados úteis fundamentado em dados científicos. Para isso, seria necessário:

1. Conduzir estudos prévios para verificar se as propriedades de um ambiente espacial, como poeira cósmica, radiação, exposição à microgravidade e etc., podem provocar mudanças no organismo de um astronauta;
2. Realizar testes de alergias regularmente, para verificar se há alterações que possam provocar restrições na alimentação do astronauta;
3. Planejar dietas à base de legumes e vegetais (incluindo proteína vegetal);
4. Optar por outras fontes de alimentos alternativas, como cultivo de algas, que forneçam os nutrientes necessários para manter uma dieta equilibrada.

Para mais detalhes recomendo a leitura do artigo “Os alimentos dos astronautas da missão à Marte” disponível em: http://revistacosmosonline.blogspot.com/2011/09/os-alimentos-dos-astronautas-da-missao.html?m=1

Um comentário:

  1. Muito bom Davi. Mostrou uma boa capacidade de reflexão e escrita. Continue assim pois o conhecimento é construído através das reflexões que nos surgem. Conhecimento não vivido é vazio. Viva e construa....

    ResponderExcluir

Report of Mission 39 in Habitat Marte

Days:  May 14 th -19 th , 2020. Members of the mission : Agnieszka Elwertowska (Poland) Commander Main station chief E-...